Oração: uma conexão profunda

Eu quis uma poltrona em um cantinho claro, onde pudesse me sentar todos os dias e chorar.

Oração: uma conexão profunda

 

Quando passo um tempo com Deus - quero dizer que separo momentos diários e intencionais para conversar com Ele -  eu falo todos os pensamentos nobres ou tolos que vêm à minha mente e também choro até esvaziar meu coração.

Minhas lágrimas nunca significaram infelicidade, mas justamente o alívio de compartilhar tudo com Deus, essa Pessoa linda, gentilmente à minha espera.

Me sinto um fragmento de suas inspirações mais incríveis e cada janela aberta, cada tópico na minha agenda tem que passar por esse encontro diário e horário. Incrivelmente, me sinto o fragmento mais infinito que se possa imaginar. Meu infinito se emenda-nos de outras pessoas e essa célula de vida que formamos vai ganhando contornos a partir da oração.

Eu não somente tenho esse lugar para me sentar, como também adotei o hábito de conversar com Deus sobre todas as pessoas e situações que me alegram ou preocupam ao longo do dia. Posso estar lavando louças ou dirigindo e me lembrar de alguém, começando imediatamente a falar ao Pai sobre minhas apreensões a respeito de qualquer coisa. 

Uma vez perguntei a Deus, antes de dormir, porque orávamos uns pelos outros. Na madrugada, veio o sonho mais lindo que já tive. Eu enxerguei a terra coberta com uma grande teia iluminada, cujos pontos de encontro representavam luzes mais fortes, que eram as orações: estávamos ligados uns aos outros por um amor capaz de nos fazer enviar votos e pedir pela felicidade e iluminação das pessoas. No sonho, percebi que o combustível que mantem acesa essa teia é o amor. Não é possível orar sem amar.

Como desde pequena tive o hábito de conversar e dançar sozinha não foi demais iniciar esse diálogo respondido com flores, surpresas, músicas, pessoas e situações. 

Eu todos os dias leio a Bíblia e nela vou marcando coisas incríveis que são muito mais que leitura. Não sei como explicar melhor que isso, mas sinto como se rios vertessem do meu peito quando de forma intencional e aberta me coloco disposta a ler e compreender com minha alma. Já percebi que essas “explicações” não vêm de mim mesma. Elas são como um insight exponencial ao longo dos minutos e circunstâncias e são sobrenaturais. De repente, estou em uma feira e a resposta a algo que busquei por muito tempo vem de algo que nunca partiria de um simples raciocínio lógico. São respostas divinas.

Tenho respostas divinas e me sinto tão honrada por isso! Ao mesmo tempo, essas respostas me tornam mais humilde e certa de que eu não poderia ser a fonte delas. 

Em outras circunstâncias, não tenho respostas. Mas sempre tenho paz quando oro.

E assim prossigo.

Todas as manhãs, antes mesmo de abrir os olhos, ainda embriagada pelo sono, ando devagar para esse lugar de paz que começa em meu coração e vou pronunciando o impronunciável.

Às vezes sinto uma vontade imensa de ajoelhar e encostar meu rosto no chão enquanto prostro minhas convicções à Onisciência e bondade de Deus.

Escuto as palavras de Cristo que me chama a buscar primeiro Seu reino e assistir ao acréscimo de todas as demais coisas, enquanto meu olhar repousa no que de fato importa.

 

 

Veja também


Outra Forma de Abraço
Todos os dias Deus nos chama a tocar a alma alguém

 

Canteiro de Ervas
Em uma bela manhã de sol, tivemos uma ideia que viria perfumar dias inteiros

 

Cantinho do chá
Seu próprio refúgio pode estar ao alcance do olhar. Basta ter imaginação!

 

Casa em ordem: adote um cronograma de tarefas domésticas
Há quase quinze anos fomos abençoados com a presença de uma mulher que nos ajuda em casa.