Casa da Árvore

Um programa de rádio e o melhor da infância ao seu alcance

Casa da Árvore

 

O que há em comum entre uma flautista brasileira que mora hoje em Portugal, o compositor Juraíldes da Cruz, a mãe de Ana Beatriz e  alguns dos professores da Escola da Natureza? Todos participam de alguma forma do programa de rádio infantil Casa da Árvore. Todos também concordam que a criança de hoje está cercada por mil e uma ferramentas virtuais, mas que faz falta o criar com as mãos, o ler e o brincar com simplicidade! E, finalmente, todos opinam que seria maravilhoso resgatar a tradição oral, canções e textos de boa qualidade e oferecer esse arsenal de vida às crianças ao redor. Casa da Árvore, um programa infantil, vai ao ar aos domingos de manhã, veiculado pela Rádio Câmara (96,9 - prefixo de Brasília) para todo o Brasil. São  minutos semanais  que transmitem em histórias, brincadeiras, travalínguas, cantigas, lendas e outras atividades,  em um bordado de informações feito de cultura popular do Brasil e do mundo.

Há mais de uma década, a rádio Câmara, uma emissora da Câmara dos Deputados, convida meninos e meninas a uma viagem pela cultura popular. 

Tudo começou, quando a jornalista e pesquisadora Andréa Faulhaber estava grávida de sua primeira filha, Júlia, que nasceu com o programa Casa da Árvore

No ar em todo o Brasil desde 12 de outubro de 2003 (Dia da Criança), Casa da Árvore surgiu com a proposta de apresentar histórias, lendas, cantigas e o melhor da cultura popular aos pequenos ouvintes e nenhuma preocupação em poupar recursos literários e poéticos. 

Os temas podem ir desde uma viagem na América andina até a poesia do cearense Patativa do Assaré, permitindo à criança alargar as fronteiras da imaginação, indo ou voltando no tempo, sem subestimar sua inteligência.

Quatro anos depois do início do programa nasceria o segundo filho. Miguel viria a ser também integrante dessa pequena trupe dedicada à criação e apresentação de cada episódio, composto também de poesias e receitas de brinquedos artesanais. Com o passar do tempo, entrou em cena a figura do pai, que passou da platéia ao cenário.

Ao longo desses anos, o programa Casa da Árvore recebeu apoio de apaixonados pela infância  e produtores de cultura como os jornalistas Dioclécio Luz, Humberto Martins e Mônica Montenegro (atual coordenadora) e uma elaboração apurada para garantir efeitos sonoros e o encaixe perfeito entre cada história e música, contando com a tutela de amigos sensíveis e criativos como Ricardo Coelho e Tony Ribeiro, gente que trabalha na busca pelo som que irá garantir o encantamento do outro lado do rádio. Já passaram pelos estúdios ao longo desses anos Xangai, Palavra Cantada e Rubinho do Vale. O programa também abriu às portas à criação de outros projetos culturais para criança, a exemplo da Contação da Rua, uma proposta mambembe que acontece em João Pessoa, Paraíba, conduzida pela idealizadora Danny Danielle, que usou o projeto brasiliense como ponto de partida para algumas ideias. 

Todos os episódios do programa Casa da Árvore são divididos em blocos que têm nomes divertidos como Poeminhas, Pipocapocapoca  e  Laboratório de Ideias. Tudo é feito com a intenção de respeitar a lógica das crianças e revelar sutilezas na obra de grandes escritores, ilustradores e cineastas, pisando os campos da ciência e literatura, em uma construção multidisciplinar.   Um episódio de Casa da Árvore pode, por exemplo,  narrar as cores dos desenhos de Beatrix Potter ou a paisagem do cerrado descrita por  Dércio Marques ou pela escritora e educadora Ruth Rocha.

Outro objetivo é dar acesso às crianças a obras que atravessam fronteiras como a de Monteiro lobato ou a dos chilenos  do Tikitiklip, aportando mais perto com uma visita aos goianos do grupo Sons do Cerrado (pesquisadores que viajam o sertão em busca de reminiscências orais em cantigas e brincadeiras gravadas).

Durante a narração do programa, os pequenos ouvintes são transportados ao ambiente imaginário de uma casa no meio da mata, ponto de partida para mil aventuras.

Hoje, os filhos de Andréa Faulhaber, Júlia e Miguel, “recebem” cada criança em um jardim que fica na frente da casa imaginária e que é o ponto de observação de pássaros, borboletas e pequenos insetos. Na varanda, se pode observar o movimento de bichos e gente (de tamanduás a índios, caboclos, mateiros e visitantes das cidades),  lugar mágico, com beija-flores e borboletas, um banco foi colocado ali para que o visitante possa sentar e entender melhor pólen, néctar, semente, líquen, fungos, labelos e anteras e fazer amizade com grilos, joaninhas e filigranas.

Há penduricalhos, teias de sonho, sinos de vento em um dos cantos desse espaço decorado com reciclagem imaginária, como as garrafas coloridas recolhidas no lixo e as almofadas de fuxico. Também há espaço para os tesouros lindos que toda criança gosta de reunir – sementes, penas perdidas, casulos deixados e restos de um colar de contas em uma caixa. Nesta sala, todos são ilustres: a costureira, com seus botões, a secretária com suas letras, o homem do quebra-queixo, o professor... Um quarto de brinquedos e música está no começo do corredor e guarda instrumentos como flautas de talo de mamão, apitos de papel celofane, carrilhões de garrafas e latas que servem de bateria. Depois da cozinha, tem uma horta com ervas cheirosas... ali há cebolinhas e alfaces, rúculas e erva-doce e todas as coisas têm seu cantinho - esse é o lugar de os apresentadores do programa Casa da Árvore falam  sobre a origem dos alimentos, construindo uma alimentação saudável. Na varanda cheia de trepadeiras, sons de  cirandas  e rimas ecoam perto do  armário de livros, próximo do quintal onde surgem outras trilhas mágicas, cheias de possibilidades: cachoeira, aldeias indígenas, casas caboclas, escola da menina-flor e a estrada para a cidade, onde cada esquina pode revelar um colégio, uma biblioteca e outras crianças em suas comunidades. 

Casa da Árvore vai ao ar em Brasília pela Rádio Câmara FM (96,9), sempre aos domingos, às 8:30. O programa também é retransmitido a emissoras afiliadas em todo o Brasil, e pela EBC, em diferentes dias e horários. 

Nossa equipe:
Direção Geral: Alessandra Anselmo
Coordenação: Mônica Montenegro, Mácio Sardi 
Texto e Pesquisa: Andéa Faulhaber
Apresentação: Fred, Andréa, Julia & Miguel Faulhaber 
Edição e pesquisa de sons: Tony Ribeiro
Apoio: Ricardo Coelho e Fidel Santos

 

 

Veja também


Outra Forma de Abraço
Todos os dias Deus nos chama a tocar a alma alguém

 

Canteiro de Ervas
Em uma bela manhã de sol, tivemos uma ideia que viria perfumar dias inteiros

 

Cantinho do chá
Seu próprio refúgio pode estar ao alcance do olhar. Basta ter imaginação!

 

Casa em ordem: adote um cronograma de tarefas domésticas
Há quase quinze anos fomos abençoados com a presença de uma mulher que nos ajuda em casa.